quarta-feira, 18 de março de 2015

REGUERA, Andrea. Patrón de Estancias. Ramón Santamarina: una biografía de fortuna y poder en la Pampa

SÍNTESE DA OBRA
REGUERA, Andrea. Patrón de Estancias. Ramón Santamarina: una biografía de fortuna y poder en la Pampa

Síntese do Sumário
Primeira Parte
-Biografia Ramón Santamarina
- Nobre estancieiro; patrimônio territorial, família-empresa
-Segunda Parte
- Estância, empresa, análise estrutural, administração, mercado, comércio
- Terceira Parte

- Representação social, indivíduos, grupos, família, continuidade da propriedade.
Indíviduo – centro de análise sobre grupos socias. Biografia como pretexto exemplificador para interpretar o espaço-temporal (p.16)
Estudo de caso para problemas de História econômica e social
Recorte temporal / Contexto – Independência 1810 até crise 1930. Rio da Prata.
Objetivo: repensar mecanismos de constituição de um grupo (grandes proprietários – fins XIX)
Fontes: Arquivos privados, guias de propriedades rurais, mapas, cadastros, correspondências, livros de registros, diários, inventários.

Patrón de estanciaspatrón de medida (terras)
                                 - patrón de riqueza, prestígio e poder

Ramón Joaquim Manuel de Santamarina – imigrante galego
-Chegou Argentina 1840. Morreu em 1904 (suicídio)
- XIX: fase de expansão econômica para Argentina (terras, agricultura, gado)
- Inicialmente trabalhou como comerciante em Tandil (couro, transportes, ...)
-Forma patrimônio de 33 estâncias (quase 300 mil ha)
- 1860 casou com Ángela Alduncin Gaspui (5 filhos)
- 1866 esposa morre. Casa com sobrinha da falecida: Ana Irasusta Alduncin (13 filhos)
- Hoje: 7 gerações

Autora critica ‘mito’ de homem ‘self made man’, carreira ascendente, méritos próprios... Biografias que o apresentam como generoso, bondoso, com vocação ao trabalho.
No entanto...
... Não escapa muito dessa interpretação no seu trabalho... Também cai na ideia do ‘predestinado’.
Diz que Santamarina tinha/era:
‘homem com lógica empresarial’, ‘oportuno para negócios’, ‘empresarial’, ‘com capital de informação’, “informado do que se passa no mundo’; “hábil empresário’, ‘homem que foi em busca de oportunidades’
Jornais da época (início do XX) noticiavam a morte de Santamarina e atribuíam adjetivos ao rico estancieiro a partir de uma visão romântica (valores, virtudes)
-Virilidade
- fortaleza
-Perseverança
-Iniciativa
- triunfo
- riqueza

Santamarina
-Chegou em Tandil em 1844
- Começo da aquisição de terras ...
las compras se fueron haciendo según las oportunidades que brindaban el mercado’ (p.29) 
Segunda metade XIX
Valorização da terra; pois... Ampliação ferrovias, melhores comunicações, exportações, terras públicas com preço fixado pelo governo.

-1880  Santamarina instala-se em Buenos Aires
- 1890 , com 63 anos fundou a Sociedade Comercial Santamarina & Cia
- 1902 passou a se chamar Santamarina é hijos. Pais no comando, filhos como sócios. União necessária para ‘perpetuação do sangue e da prosperidade’
- 1904 morte Santamarina. Sociedade parcialmente liquidada.
- Aquisições: terras, casas, chácaras, estabelecimentos comerciais.
-Compras de terras - de particulares (50% do patrimônio) ou do governo, por preço baixo.
- Consolidação da estância – crescente demanda de produtos pecuários
Entre o governo de Juan Manuel de Rosas (1829) e Julio Roca (1904), o governo argentino deu ou vendeu mais de 32 milhões de ha.
Família – Empresa –
Santamarina (patron de estancias, pater familia)
Família – suporte de fortuna e poder econômico, prestígio social e poder político.
Após a morte de Santamarina – cada herdeiro se tornou patron de suas próprias estancias.
Organização produtiva:
-Estância – base riqueza nacional
               - unidade básica de organização econômica e social, caracterizada pela propriedade privada da terra.
Estâncias Santamarinabonivos, ovinos, couro, cereais
Exportação, grande criação, expansão econômica, frigoríficos,

 Administração estâncias – pequenas unidades
Sócio capitalista, sócio trabalhador
Estancieiro, chacareiro, peão

Administração -  centralizada
Homogeneidade organizacional
-Produção voltada ao mercado
- máximo aproveitamento dos recursos
Processo circular: criação de animais – esterco/fertilizante – terra/produção/cereais/pastagens/ração – alimentação dos animais

Empresa e Mercado
-Mercado interno e externo
- encontro de vendedores e compradores (feiras), transações comerciais...
Organização do trabalho
-Libros de trabajos diarios – atividades agrícolas, funcionamento, tarefas, controle de horários, qualidade do trabalho, estrutura hierárquica, salários (variáveis)
-Intenção: produzir o máximo possível
- Trabalhadores: uma parte imigrantes, homens solteiros de 13 a 60 anos

Representatividade social
Quantos Santamarina no mesmo contexto do pampa no XIX?
-Grupos sociais, construção histórica. Neste caso, elemento importante: propriedade da terra – grupo dos proprietários.
- Autora cita outros casos de proprietários – poder econômico, participação política (ligação com governo da Província), prestígio social.
- Homens ligados por vínculos de amizade, compadrio, clientelismo
Não apenas a propriedade da terra como elemento identitário do grupo, mas .... la referencia a uma historia familiar y a uma concepción de determinada façon de vivre es lo que los hacepertenecer’” (p.201)
Grupo proprietários: acesso à terra: comércio, política, trabalho, capital, pertença

Considerações finais
Santamarina foi um empresário
Aquele que transforma o indeterminado em multiplicidade de possibilidades (p. 223)
“hábil empresário”
“capacidade de negociação”
“informado do que se passa no mundo”