terça-feira, 6 de novembro de 2007

América Latina, região das veias abertas

"Nossa derrota esteve sempre implícita na vitória alheia, nossa riqueza gerou sempre a nossa pobreza para alimentar a prosperidade dos outros: os impérios e seus agentes nativos. Na alquimia colonial e neo-colonial , o ouro se transforma em sucata e os alimentos se convertem em veneno".
"A chuva que irriga os centros de poder imperialista afoga os vastos subúrbios do sistema. Do mesmo modo, e simetricamente, o bem-estar de nossas classes dominantes - dominantes para dentro, dominadas de fora - é a maldição de nossas multidões, condenadas a uma vida de bestas de carga".
Eduardo Galeano. As veias abertas da América Latina.

Um comentário:

Anônimo disse...

last ario women polished agenciesfor industry round danida warblogging byand apoptosis
semelokertes marchimundui